Cuidados com a saúde mental de idosos

casal-idoso-feliz

Cuidar de idosos – Saúde Mental

O fenômeno do envelhecimento vem aumentando gradativamente no Brasil, estima-se que até 2050 o número de idosos quase triplique. A expectativa de vida também tem aumentado no Brasil, assim, cada vez o país tem mais idosos, que vivem por mais tempo.

Mas será que a sociedade está pronta pra isso? Será que por vezes tratamos bem e atendemos a necessidade dessa população?

A verdade é que os assuntos sobre envelhecimento, e até mesmo os estudos mais aprofundados estão em ascensão agora pela necessidade de cuidadores, profissionais da saúde e até da família saber melhor como agir com essa população.

Os cuidadores geralmente são as pessoas que mais ficam com os idosos no dia – a – dia, e sabemos que o cuidar desse profissional é muito mais que físico, o cuidar é uma palavra abrangente mas que remete também a afeto, respeito, e dedicação.

Sabemos também que nem sempre os cuidadores tem informações completas sobre o que fazer, sentindo- se por vezes perdido.

Pensando nisso o artigo de hoje resolveu trazer alguns aspectos relacionados a saúde mental do idoso.

Como tratar os idosos e o que passa na cabeça deles?

Os idosos devem ser tratados como os adultos que são. É muito comum vermos idosos sendo tratados como crianças, essa infantilização não é saudável para o idoso, e nem para a relação com o cuidador. Tente não usar palavras no diminutivo, mudar a voz ao falar com os idosos. Por vezes achamos que ao infantilizar estamos tratando o idoso com carinho, esqueça essa idéia, são coisas totalmente diferentes.

Tratar o idoso com sentimentos de pena, ou dó também não é uma boa saída, isso porque acabamos demonstrando esses sentimentos no olhar, nas atitudes e as vezes até em nossas palavras. E ninguém gosta de estar nesse papel de ‘’coitado’’, né? Com o idoso não é diferente.

Trata-los de uma maneira normal, com afeto, respeito e os dando autonomia é o ideal.

O jeito que você os trata pode influenciar bastante no que se passa na cabeça deles. Claro que os pensamentos de cada um é subjetivo, e depende de diversos fatores sociais, e pessoais. Mas estudando uma população com determinada faixa etária sabemos dos pensamentos mais comuns. E quando tratados como crianças ou como ‘’coitados’’ os idosos começam a sentir-se inúteis, achando que seu papel não é mais relevante na sociedade.

O envelhecimento é uma fase marcada por perdas, afinal, o idoso já perdeu muitas pessoas próximas. Já perdeu alguns aspectos cognitivos, vendo sua memória, sua atenção, sua capacidade de raciocínio por vezes mais lentas. Teve a perda do seu corpo físico, para dar espaço a rugas, aos cabelos brancos. Assim, como fisicamente pode ter perdido mobilidade, pode sentir-se mais cansado com pouco. O trabalho também entra como uma perda, por vezes o idoso sente falta da sua ocupação.

Pensando em todas as perdas, e ainda, na morte que para o idoso é uma realidade maior, no qual os pensamentos chegam de forma mais acentuada do que para os outros grupos, os pensamentos dos idosos por vezes são tristes. Por isso o cuidado aos sinais de depressão na terceira idade. Eles já passaram por muita coisa, e dependendo da situação que se encontram vão lembrar de forma melancólica de todas as perdas.

É natural que isso seja lembrado pelo idoso, mas promover um ambiente em que ele consiga pensar no presente, e ter planos a curto prazo é importante. Isso porque outra queixa dos idosos é por vezes não conseguirem mais fazer planos a longo prazo.

As vezes os idosos só precisam colocar esse pensamento pra fora, pra tristeza ou a angustia passar, por isso devem sentir-se seguros para compartilhar suas histórias e pensamentos no ambiente em que se encontram. Por vezes adoecem psiquicamente por guardarem os que o afligem.

Resumindo, os idosos tendem a ter pensamentos mais ligados ao passado do que ao presente, misturando sentimentos de saudade, nostalgia com o pesar de ser excluído na sociedade. O futuro por vezes é pensado como a morte. Por isso ações por parte do cuidador que permitam pequenos planos a curto prazo, um espaço de escuta, e a valorização do que o idoso ainda consegue fazer é importante.

Por que respeitar as vontades e ao mesmo tempo fazer o que é necessário?

Os idosos por vezes são conhecidos como teimosos. Isso porque as vezes se recusam a tomar aquele remédio, ou entender que sua limitação não permite mais que certas atividades sejam feitas, e o cuidador fica perdido sem saber muito o que fazer.

A primeira coisa que devemos entender que respeitar a vontade do idoso é fundamental para a sua saúde mental, a promoção da autonomia é essencial para um envelhecimento saudável. Então, é muito importante ouvir, e respeitar o que o idoso quer. O conflito por vezes acontece pela falta de diálogo, pelo modo infantil que os mesmo são tratados, e por nunca a vontade do idoso ser ouvida em outros ambientes.

Se você manter uma relação onde o idoso é ouvido, e tratado de forma digna e adulta, ele possivelmente vai ouvir um ‘’não’’ quando necessário. Mas é importante que o cuidador explique o porque o idoso não pode fazer aquilo, ou porque não pode deixar de tomar aquele remédio, fale sobre as possíveis consequências, pergunte a opinião do idoso, e fale sobre os benefícios que isso pode trazer na sua vida (no caso de inserir algo novo na rotina).

É importante que seja feita uma conscientização antes do idoso parar uma atividade que gosta mas sua saúde não permite mais, por exemplo.

Lembrando que só devemos tomar atitudes de proteção quando a saúde do idoso estiver em risco. Se o comportamento, ou as ações não colocam ninguém em risco, nem ele próprio deve ser mantido, por mais irritante, ranzinza ou sistemático que isso possa ser.

Tudo vai depender da forma que o cuidador conduz a conversa, se for em modo de imposição, onde o idoso sente-se inferior dificilmente vai dar certo. Quando a relação é de igual para igual, com diálogo e reflexões as duas partes chegam em um acordo, e evitam o conflito.

Esperamos que tenha gostado das nossas dicas de hoje, cuidar da saúde mental do idoso é tão importante quanto cuidar da saúde física. Não deixe de continuar na página e ler nossos outros artigos.